Instituto José Maciel

Conteudo

Depoimentos

Estatísticas do Site

Membros : 32784
Conteúdo : 679
Links da Web : 6
Visualizações de Conteúdo : 1211840

Pessoas Online

Nós temos 14 visitantes online

Amaro Cavalcanti

E-mail Imprimir PDF

AMARO Carneiro Bezerra CAVALCANTI
Filho de Amaro Soares Cavalcanti de Brito e de D. Ana de Barros Cavalcanti, nasceu em 15/8/1848, em Caicó – RN e faleceu em 28/1/1922 no Rio de Janeiro – RJ. Foi advogado, industrial, professor e escritor. Como Parlamentar ficou conhecido como Amaro Cavalcanti.

Na vida política cumpriu os mandatos no períodos a seguir mencionados:

MANDATOS
Senador (15/11/1890 a 31/1/1894)
Deputado Federal (25/5/1897 a 8/8/1897)
Prefeito (Distrito Federal – 15/1/1917 a 15/11/1918)

Foi eleito pelos Partidos Conservador do Império (PCI) e Republicano Federal (PRF).

Amaro Cavalcanti foi ainda Diretor do Liceu do Ceará, Inspetor Geral de Instrução Pública, Presidente da Companhia de Navegação do Rio das Velhas, Ministro Plenipotenciário no Paraguai, Ministro da Justiça e Negócios Interiores, Ministro do Supremo Tribunal Federal e Ministro da Fazenda.

Fez o Curso Secundário em Caicó – RN.

Casou-se com Eponina de Souza Ferreira, em Baturité-CE.

Publicou as seguintes obras: A Religião (1874), A meus Discípulos (1875), Livro Popular (1881), Educação Elementar nos EUA (1881), Notícia Cronológica da Educação Popular no Brasil (1883), Ensino Moral e Religioso (1883), Meio de desenvolver a instrução primária nos municípios rurais (1884), The Brazilian Laguage And Its Aglutination (1884), Finances Du Brésil (1889), Resenha Financeira do ex-Império (1890), Projeto de Constituição de um estado (1891) Reforma monetária e bancária (1891), Política e finanças (1892), Meio circulante nacional (1893), A situação política ou a intervenção do Governo Federal nos Estados da União (1893), Elementos de Finanças (1896), Tributação Constitucional (1896), Regime Federativo (1900), Unidade do Direito Processual, Congresso Jurídico Americano (1901), Direito das obrigaçãoes (1901), A justiça internacional (1902), Taxas protetoras nas tarifas aduaneiras (1903, Responsabilidade civil do estado (1905), Natureza e forças econômicas do Rio Grande do Norte (1916), Pan-American questions (1913), Sociedade brasileira de direito internacional (1916), A Sociedade das Nações (1920) A vida econômica e financeira do Brasil (1915), Revisão das sentenças dos tribunais estaduais pela Suprema Corte dos Estados Unidos da América (1910), The Federal Judiciary In Brazil And United States Of America (1911), La Codification Du Droit Internacional American (1914), A neutralidade e as restrições do Comércio Internacional na guerra européia (1916).

Foi abolicionista e republicano.

Foi designado pelo Presidente da Província do Ceará para ir aos Estados Unidos a fim de estudar uma forma da instrução pública aplicável à província.

Opôs-se ao movimento contra Deodoro em novembro de 1891.

Foi eleito Deputado Federal, mas não chegou a tomar posse (1897).

Em 1883, proferiu, na Capital Federal, a sua conferência sobre ‘O Ensino Moral e Religioso nas Escolas’, onde defendia a permanência dessa cadeira no ensino público, segundo os cânon

es da escola clássica.

Como prefeito do DF, criou a Escola Normal Profissional ‘Venceslau Brás’.

Era também membro honorário do Instituto Histórico e Geográfico do RN.

É Patrono da cadeira número 2 da Academia Norte-rio-grandense de Letras.

 
 Natal/RN - Brasil,