Instituto José Maciel

Conteudo

Depoimentos

Estatísticas do Site

Membros : 28609
Conteúdo : 651
Links da Web : 6
Visualizações de Conteúdo : 992293

Pessoas Online

Nós temos 17 visitantes online

José Augusto Meira Dantas (Ceará-Mirim, 11 de dezembro de 1873 — 21 de março de 1964)

E-mail Imprimir PDF

Augusto Meira, cujo nome de batismo é José Augusto Meira Dantas, nasceu no engenho Diamante, município de Ceará Mirim, Rio Grande do Norte, a 11 de dezembro.de I873. Era fi­lho de Olinto José Meira e D. Maria Generosa Meira Ribeiro Dantas. Fez’ seu, curso primário e secundário no engenho Je­riçó, sob a orientação de seu próprio pai. Formou-se em direi­to, no ano de 1899, na cidade do Recife, tendo sido laureado pela mesma Escola, com o prêmio de viagem à Europa. Depois de sua formatura esteve algum tempo na cidade do. Rio de Ja­neiro, e daí transferiu-se para a cidade de Santarém, neste Es­tado, onde exerceu por alguns anos a função de Promotor Pú­blico. Nessa cidade casou-se com D. Anésia de Bastos Meira. Lobo após seu casamento foi transferido pelo Governador Au­gusto Montenegro para a promotoria de Belém. Em 1908 fez concurso para a cadeira de Direito Penal da Faculdade Livre de Direito, o primeiro concurso a realizar-se nessa Escola. Foi deputado estadual em diversas legis1aturas. Com o advento da revolução de 1930 passou ao exercício da advocacia e ao professorado. Na interventoria Magalhães Barata foi nomea­do Diretor da Faculdade de Direito, lugar em que permaneceu até ser eleito senador Federal pelo Pará. Após ocupar por quatro anos a senatoria federal, foi eleito deputado FederaL Foi colaborador constante da “Folha do Norte”, do “Estado do Pará”, “Província do Pará”, “Jornal do Brasil” e “Jornal do Co­mércio”, estes do Rio de Janeiro. Publicou muitas obras, entre as quais podemos destacar Falenas e Nenúfares, Alcíones, Secreto Esplendor, Caminho da Glória, Brasileis, epopéia nacio­nal brasileira. O Príncipe de Miller, Amazonas versus Pará, Ruy Barbosa e Rio Branco, Autonomia Acreana, O Caso Torres, Di­reito e Arbítrio, Mandado de Segurança, Selva Selvagem, Es­tesia Filológica e muitos outros trabalhos, entre os quais ainda alguns inéditos. De seu feliz consórcio com D. Anésia de Bas­tos Meira nasceram-lhe nove filhos. Augusto Meira foi poeta, publicista, orador, professor de Latim, Português, Lógica, ocupando ainda as cátedras de Direito Penal e Direito Civil da Faculdade de Direito. Como parlamentar salientou-se nas lu­tas contra a internacionalização da Amazônia, apresentando ainda inúmeros projetos de interesse público, transformados em lei. Sua folha de serviço foi inestimável e faleceu nesta cidade aos 90 anos, em plena atividade intelectual.

Livros de poesia anteriores: Alciones (1907), Falenas e nenúfares (1907).

 
 Natal/RN - Brasil,