Instituto José Maciel

Depoimentos

Estatísticas do Site

Membros : 467
Conteúdo : 617
Links da Web : 6
Visualizações de Conteúdo : 762880

Pessoas Online

Nós temos 60 visitantes online

Luiz Romano

E-mail Imprimir PDF

Mais um livro de Luiz Romano. Caboverdense, pariense, homem do deserto, natalense, macaunse, sei mais lá! Cidadão do mundo. Pátria de todos. Homem universal no seu fabuloso e sincero amor pela humanidade. Sua aventura humana é um prodigioso espanto de aventura. Linguas, pessoas, paisagens. Sede nos olhos e na alma de conhecer o grande mundo de Deus. Suas terras e águas. Seus altos céus incandescentes ou frios. E o coração ávido de buscar o outro irmão, branco ou negro, vermelho ou amarelo. O homem na verticalidade infinita que busca, as vezes, mais que um deus somente. O Homem semente a despontar numa folhagem basta, diversa, a ter que se comunicar, se fazer uma copa de árvore enorme cobrindo a terra de todos.

Luiz Romano, agora, vem com novo livro. Nova mensagem. Poderia escrever sobre o branco da primeira folha, os versos de Régio: “Não sei para onde vou / não sei por que vou. / Sei que não vou por aí!”

Sabe que não deve e nem pode parar. Quer acima dos ventos erradios dessa tormenta dos dias presentes fazer com seus irmãos todos. Abrir-lhes um caminho onde todos passavam e a ventura da vida ou aventura, seja no rastro de astros caídos ou passos de viajantes, um mundo novo a construir sobre escombros.

“Que vale chorar sobre ruínas?”

“Clima” – seu livro, diz da sua alma fabulosa, com todos os espantos que viu, incompreensões que provou, os solitários acampamentos de um povo errático e pernumbroso; alma que apenas e tão somente precisa saber que tem ao seu lado um irmão. E com o milagre desta descoberta, reconstruir a Casa, que tendo muitas moradas , como no Evangelho, caberá todos.

Mas, Luiz Romano, tem muito mais. Tem a ser conhecido e sentido nas grandes medidas da sua amizade. E ouvir-lhe os causos todos, estórias, viagens. Alma transbordante de marinheiro, Romano conhece as sete partidas de meu Deus. Seus portos, os vinhos, os quentes licores, céus e luas, os finos estrelários, pólos, rios e águas de mar. Ler “Clima” é conhecê-lo grande parte. Ele, que à maneira de Exupery, poderia chamar a noite de morada...

Newton Navarro - 08/11/1963

 

Major Antonio Andrade

E-mail Imprimir PDF

 

Pe. Joao Correia de Aquino (Monsenhor Aquino)

E-mail Imprimir PDF

- Dados pessoais e funcionais do Monsenhor Aquino
(Pe. João Correia de Aquino)

Nascido na cidade de Pau dos Ferros, região oeste do Rio Grande do Norte, em o3.06.1920, é o 15º rebento de uma família classe  média constituída de uma prole de 18 filhos gerados pelo casal Manoel Alexandre de Aquino e Júlia Correia de Aquino, ele, agropecuarista de origem portuguesa e ela de prendas domésticas, descendente de Joaquim José Correia  - Homem público de projeção no cenário político em fins do século dezenove e começo do século vinte.

De formação cristã conviveu na sua infância e pré-adolescência, sob os cuidados atentos do lar, sempre inclinado a pretensões religiosas.

Seus passos preliminares na busca do saber foram orientados nas salas do Grupo Escolar “Joaquim Correia”, da sua cidade, entidade edificada por seu avô materno quando de suas proveitosas gestões administrativas naquela época. Com pouca idade, ainda, matriculou-se no Colégio Marista de Natal, mas logo no ano seguinte, transferiu-se para o Seminário de São Pedro, em Natal, efetuando sua iniciação vocacional.

Depois de freqüentar o Seminário Maior em Fortaleza, ordenou-se padre na Diocese de Natal no dia 19 de novembro de 1947.

Leia mais...
 

Joao Camara

E-mail Imprimir PDF

João Severiano da Câmara (Taipu, 8 de março de 1895 — Natal, 12 de dezembro de 1948), mais conhecido como João Câmara, foi um agropecuarista, comerciante, industrial e político brasileiro que foi deputado estadual no Rio Grande do Norte e senador pelo mesmo estado.

Fazendeiro, criador de gado e plantador de algodão, exportador e industrial, desempenhou papel fundamental na criação e desenvolvimento do município de Baixa Verde, hoje João Câmara, sendo seu primeiro prefeito.

Em outubro de 1934, foi eleito para a assembléia constituinte do Rio Grande do Norte pelo Partido Popular (PP), sendo um dos signatários da constituição estadual de 1936.

Com a implantação do Estado Novo, teve seu mandato extinto, em novembro de 1937.

Redemocratizado o país, elegeu-se senador em janeiro de 1947 pelo PSD, do qual foi um dos fundadores em seu estado.

Quando faleceu, era um dos nomes cogitados para concorrer ao governo.

Períodos Legislativos da Terceira República - 1937-1946

Leia mais...
 
 Natal/RN - Brasil,